Blogue

Na PRauto acreditamos que a tecnologia pode trazer benefícios para o Meio Ambiente e para a qualidade de vida de todos no geral. Todavia é insólita a história que foi publicada esta semana vinda da Austrália e que nos faz perguntar qual é o verdadeiro custo de ter um carro elétrico?

Como sabemos o pack de baterias dos carros eléctricos vão perdendo eficiência com o passar do tempo. O engenheiro de Canberra, Phillip Carlson, comprou um Nissan Leaf (modelo totalmente elétrico) por 53.500 dólares autralianos, em agosto de 2012, cerca 33.000€.  Passados apenas sete anos, ele não pode conduzir o seu carro ecológico porque não está preparado para pagar a fatura da oficina para substituição do pack de baterias de íon de lítio no valor de 33.385 dólares australianos, cerca de 20.350€. Isto é 60% do preço do carro novo.

Se soubesse o que sabe hoje, o engenheiro autraliano prefira ter comprado o novo Tesla Model 3 em vez do Nissan Leaf e diz:  "Muito melhor alcance, melhor suporte e construído por uma empresa que parece realmente se importar com o cliente e projetar suas baterias para serem arrefecidas a água."

O Nissan Leaf, incluindo o novo modelo de 2019, não possui um mecanismo de arrefecimento para as baterias...

 

A PRauto acredita que mais soluções de mobilidade é mais qualidade de vida. Por isso, neste Verão, lançamos uma campanha para lhe dar mais opções de mobilidade urbana.

Na compra de uma viatura a crédito num valor superior a 500o Euros, oferecemos uma trotinete eléctrica. O modelo pode diferir do apresentado na fotografia, mas será sempre uma opção alternativa de mobilidade para pequenas deslocações na sua cidade ou bairro. Recomendamos que respeite sempre as regras de segurança pessoal e rodoviária durante a utilização destes veículos.

Venha visitar-nos em Mora e descubra os últimos modelos que preparamos para si.

 

Segundo um estudo alemão, o carro eléctrico Tesla Model 3 produz mais CO2 do que um carro a diesel. De facto, o seu autor Christoph Buchal - professor da Universidade de Colónia, indicou que todo o processo de extracção dos componentes que dão forma à bateria, como o lítio, o cobalto ou o manganês, fazem com que as emissões na produção do veículo eléctrico sejam superiores à que emite um equivalente a gasóleo ou a gasolina durante a sua vida.

Esta conclusão gerou muita contestação e levou alguns especialistas a rebater cada argumento, mas parece que a extracção do lítio é um ponto de risco ambiental. Segundo os especialistas, neste processo é requerida a mobilização de grandes quantidades de água. Além disso, há também o uso de produtos químicos para a separação dos componentes.

Assim, para níveis de autonomia semelhantes, a conclusão do estudo é muito clara. Os carros eléctricos terão maior impacto no que toca a emissões, do que um carro a diesel ou gasolina.

Claro que os defensores dos carros eléctricos que apontam as suas vantagens - a limpeza do ambiente em torno destes veículos, o silêncio, a durabilidade dos materiais e a ausência de fluidos igualmente poluentes. Contudo, contra estes carros eléctricos são apontados argumentos que mostram a dependência energética que resulta da combustão do carvão, da combustão do lignite (rocha sedimentar macia tipo carvão), da energia nuclear e de outras fontes de produção de energia eléctrica, a extracção do lítio e a a baixa taxa de reciclagem das baterias eléctricas.

Importa esclarecer muitos mitos sobre os carros eléctricos e diesel para em 2050 fazer o cumprimento do Acordo de Paris alcançando a neutralidade carbónica.

Neste verão ultrapassamos os 900 gostos na principal rede social. Gostos genuínos e autênticos. Agradecemos a todos os clientes e amigos pela confiança que depositam em nós. É mais uma motivação para continuarmos a fazer o trabalho que adoramos todos os dias: Encontrar as melhores viaturas do mercado nacional, preparar e revisionar todos os detalhes mecânicos das mesmas. Assim, quando compra uma viatura semi-nova ou usada na PRauto sabe que leva uma máquina fiável para o seu trabalho, viagem, lazer ou dia-a-dia da escola e do trabalho. 

Obrigado pela preferência. Venha visitar o nosso stand em Mora. Esperamos por si.

5 razões para comprar um carro a diesel

Está na moda anunciar a morte dos carros a diesel, a realidade é que esta até pode ser uma boa altura para comprar um carro a gasóleo.

1- Diesel mais económico do que gasolina
Comparadas com os motores a gasolina, as motorizações a gasóleo têm sempre vantagem no que respeita ao consumo. Os motores diesel trabalham com um excesso de ar muito superior aos gasolina, o que significa que, para o mesmo tipo de potência, vão sempre gastar menos.

2- Diesel menos poluente do que gasolina
É difícil de aceitar, mas comparando exclusivamente motores modernos, com os diesel já equipados com filtro de partículas, catalisadores de duas vias e SCR (Selective Catalytic Reduction) com injecção de AdBlue, e os gasolina a deitarem mão a catalisadores de três vias e filtros de partículas (se possuírem turbocompressor), os motores diesel não perdem nas emissões poluentes ou de CO2 para os seus rivais dos combustíveis fósseis. Antes pelo contrário.

3- Quando banirem os diesel, os gasolina vão terminar
As directrizes europeias apontam para a descarbonização contínua do sector dos transportes, isto é o fim dos combustiveis fosseis - gásoleo e gasolina, isto de mãos dadas com a produção de energia eléctrica. Mas isto não é daqui a quatro ou cinco anos, é antes daqui a 20 ou 30 anos.

4- Os motores diesel não têm futuro?
Não necessariamente. Há esforços científicos bastante avançados para produzir gasolina e gasóleo neutros em carbono. Essencialmente, são combustíveis sintéticos que contêm carbono, como os de origem fóssil, mas em que esse carbono é capturado da atmosfera, aonde regressa depois de ser queimado pelos motores convencionais. Isto significa que as emissões de CO2 destes motores são rigorosamente zero.

5- Os veículos eléctricos são alternativa?
Ainda não são, pelo menos para a maioria dos condutores. Um Nissan Leaf, o mais vendido entre nós, custa no mínimo 34 mil euros, com o Renault Zoe, o segundo mais popular, a exigir 32.000€. Não esquecamos a autonomia destes carros. É bom recordar que numa viagem de Lisboa a Coimbra num dos Nissan Leaf (viagem de duas horas para ligar os 200 km) um veiculo electrico tem de parar a meio para recarregar a bateria, o que diz tudo em matéria de versatilidade.

Conclusão, os motores a gasóleo que muitos querem ‘matar’ rapidamente ainda têm mais uns bons anos de vida pela frente. Mais de 20!